O trabalho em conjunto das comissões que compõem a Central de Licitações, da Secretaria Municipal de Administração e Recursos Humanos (Sema), está reduzindo o prazo de realização dos certames. No mês de março, por exemplo, a fase externa dos pregões eletrônicos levou, em média, 39 dias para ser concluída, sendo que a meta para realizá-la era em 65 dias.

“Batemos a meta com folga e isso se deve ao aperfeiçoamento das comissões, quanto mais os membros e pregoeiros realizam pregões pelo sistema, mais eles vão dominando a ferramenta, desenvolvendo suas competências, suas habilidades”, pondera João Emílio Lemos Pinheiro, coordenador geral da Central de Licitações.

Além deste aperfeiçoamento dos membros das comissões da Sema, a Central de Licitações também está trabalhando em parceria com os outros órgãos municipais para otimizar ainda mais a elaboração dos certames, tornando-os mais céleres e eficientes.

Por sua vez, o secretário de Administração e Recursos Humanos, Francisco Canindé, destaca as vantagens do pregão eletrônico para a gestão pública. “Nos últimos anos, estamos reforçando o uso do pregão eletrônico, sobretudo, pelas suas características de eficiência, transparência e abrangência, permitindo que empresas de todo o país concorram ao certame e, assim, os preços se tornem mais vantajosos para a administração pública”, pontua.

Entre os objetos de contratação por meio de pregão de eletrônico está a compra de material de expediente e material de consumo de um modo geral, além de reformas. Para modernizar a realização desta modalidade, desde o início do ano passado, a Sema utiliza o Licitações-e, sistema online, desenvolvido pelo Branco do Brasil, que permite que pregoeiros e licitantes se reúnam, de qualquer lugar, por meio da internet, em uma sessão pública.