A Prefeitura de Teresina está trabalhando com a meta de reduzir o consumo de energia em 25% até o mês de outubro. Várias ações já vêm sendo adotadas desde o ano passado. A mais recente é a substituição da iluminação antiga por lâmpadas de LED em todos os prédios da prefeitura. A licitação para a troca já foi iniciada.

Estudos mostram que as lâmpadas LED (Light Emitting Diode, ou Diodo Emissor de Luz) garantem até 80% de economia de energia em comparação com as lâmpadas tradicionais. Outra vantagem é que elas têm uma vida útil bastante longa e um bom desempenho na iluminação dos espaços.

Outra estratégia para a redução da conta de luz que está sendo implantada é a instalação de um banco de capacitores para evitar o “vazamento” de energia. “A compra desse banco de capacitores está em fase de licitação. Esses equipamentos são necessários para evitar a chamada energia reativa, aquela desperdiçada”, explica Augusto Ferro, coordenador do grupo de trabalho criado na Sema (Secretaria de Administração) para o uso racional de energia e água.

Ele explica que, desde o ano passado, a Sema tem realizado estudos para a reduzir o consumo de energia nos órgãos da Prefeitura. Através de medidas como a revisão e renovação dos contratos junto à Eletrobras, já foi possível diminuir a fatura de energia em cerca de 15%. “Avaliamos o consumo individual, por mês, de todos os órgãos do município para reavaliar a demanda de cada um. Atualmente, temos um controle melhor de quanto o município paga todos os meses por cada órgão”, ressalta Ferro.

Um exemplo da eficácia dessa revisão de demanda é o estádio Lindolfo Monteiro, que pagava cerca de R$ 23 mil de energia por mês no contrato antigo. Atualmente, a conta de luz varia entre R$ 800 e R$ 1.200.