Administração oferecerá cursos da Universidade Corporativa do Banco do Brasil

A Secretaria Municipal de Administração e Recursos Humanos (Sema) irá oferecer cursos de capacitação para os gestores municipais com o intuito de otimizar ainda mais a gestão de Teresina. Os cursos serão disponibilizados na plataforma online da Universidade Corporativa do Banco do Brasil e inclui eixos temáticos como orçamento, educação financeira e liderança.

Segundo o secretário executivo da Sema, Franzé Chaves, inicialmente, serão contempladas as equipes que trabalham nos projetos Gestão Cidadã, Gestores de Monitoramento e Gestores de Pacote da Prefeitura de Teresina. “Nosso objetivo é proporcionar um alto desenvolvimento em temas importantes tanto para o trabalho do servidor, como para sua vida pessoal, e, assim, alcançar melhores resultados”, explica.

Já o gerente geral da Agência de Setor Público do Banco do Brasil, Robert Bandeira, destaca que a ferramenta que será disponibilizada para os gestores municipais da capital piauiense é a melhor do mundo.  “O Banco do Brasil disponibiliza, para os entes públicos municipais, uma plataforma chamada Universidade Corporativa Banco do Brasil, focada no seguimento de prefeituras. É uma oportunidade do Banco contribuir para o aprimoramento do serviço público em nível nacional. E a universidade foi reconhecida, pelo segundo ano consecutivo, como a melhor universidade corporativa do mundo”, pontua.

A ferramenta conta com algumas linhas de treinamento, dentre elas a de gestão e liderança, oferecendo desde palestras motivacionais até cursos mais aprofundados e que dão direto à certificação. O acesso é pessoal e intrasferível e não terá nenhum custo para o gestor ou servidor municipal.

Prefeitura começa a migrar pregões eletrônicos para sistema do Banco do Brasil

Estará disponível, a partir desta terça-feira (7), as primeiras licitações que serão intermediadas pelo Licitações-e – sistema online, desenvolvido pelo Branco do Brasil, que moderniza a realização dos procedimentos licitatórios e permite que pregoeiros e licitantes se reúnam, de qualquer lugar, por meio da internet, em uma sessão pública.

Os três pregões que serão lançados são para adaptação de salas de aulas de 20 Centros Municipais de Educação Infantil (Cmeis), sendo 16 localizados na zona Sul de Teresina e quatro na zona Norte da cidade, que irão se preparar para receber climatização.

De acordo com o secretário municipal de Administração e Recursos Humanos, Manoel de Moura Neto, a mudança da plataforma online vai otimizar e dar maior celeridade à realização dos pregões eletrônicos da Prefeitura de Teresina. “Nossa expectativa é que, em cerca de 45 dias, todos os pregões eletrônicos estejam sendo realizados pelo Licitações-e, que é utilizado pela maioria das repartições públicas, é confiável e mais leve”, pontua.

A coordenadora geral da Central Permanente de Licitações, Daniela Vieira, explica que, para participar dos pregões, as empresas interessadas devem se cadastrar no sistema do Banco do Brasil (através do endereço eletrônico www.licitacoes-e.com.br) e no Sistema Único de Registro Cadastral do Município de Teresina – SURT (Na sede da Sema). “Esse procedimento é de praxe e é necessário para que a empresa possa concorrer ao certame”, completa.

A realização do pregão eletrônico dos Cmeis da zona Sul, lote IV, está marcado para o dia 20 de março e o valor estimado é de R$ 896.377,41. O lote I, também na zona Sul, ocorre dia 20 de março e tem valor estimado em R$ 823.687,50. Já o lote correspondente à zona Norte será realizado dia 21 de março, com valor estimado de R$ 674.373,57.

 

Segue a lista dos Cmeis que serão beneficiados:

Zona Norte

Cmei Monte Verde (6 salas de aula)

Cmei Professora Helena Maria de Carvalho (6 salas de aula)

Cmei Professora Zélia Calixto (6 salas de aula)

Cmei Professora Hilda Maria Lemos dos Santos Silva (10 salas de aula)

 

Zona Sul (Lote I)

Cmei Bom Jesus Wall Feraz (2 salas de aula)

Cmei Chapadinha (2 salas de aula)

Cmei Enilson Carvalho (2 salas de aula)

Cmei Maria Alves da Silva Santos (2 salas de aula)

Cmei Vovó Laís (2 salas de aula)

Cmei Cirandinha (4 salas de aula)

Cmei Marcos Vilaça (4 salas de aula)

Cmei Presidente Costa e Silva (4 salas de aula)

Cmei Santa Cruz (4 salas de aula)

Cmei Santa Francisca Cabrini (4 salas de aula)

Cmei Tia Anita Morais de Brito (4 salas de aula)

 

Zona Sul (Lote IV)

Cmei Parque São João (5 salas de aula)

Cmei Irmã Dulce (7 salas de aula)

Cmei Luis Gonzaga Pires (7 salas de aula)

Cmei Ariano Suassuna (9 salas de aula)

Cmei Nossa Senhora da Paz (9 salas de aula)

 

 

 

Treinamento capacita membros das comissões de licitações para novo sistema online

Os membros das Comissões Permanentes de Licitações da Prefeitura de Teresina participam, nesta sexta-feira (10), de um treinamento para aprender a manusear o novo sistema de pregões eletrônicos. A ferramenta Licitações-e foi desenvolvida pelo Banco do Brasil e deve modernizar a realização dos procedimentos licitatórios.

Segundo o secretário de Administração e Recursos Humanos, Manoel de Moura Neto, a adesão ao sistema do Banco do Brasil vai garantir maior celeridade e transparência aos procedimentos que, nesta modalidade, são realizados exclusivamente através de plataforma online, sem necessidade de encontros presenciais para apresentação de lances e propostas. “Com esta mudança, esperamos mais eficiência e rapidez nos trâmites”, completa.

Por sua vez, a coordenadora geral da Central de Licitações, Daniela Vieira, destaca as vantagens da modalidade. “O pregão eletrônico se destaca por ajudar a Administração a reduzir custos e melhorar ainda mais a gestão dos recursos públicos em benefício da sociedade”, pondera. Daniela Vieira pontua que, a partir da próxima semana, os pregões eletrônicos que forem lançados já serão conduzidos através do novo sistema.

 

 

 

Prefeitura adere ao sistema do Banco do Brasil para realização de pregões eletrônicos

A Prefeitura de Teresina, através da Secretaria Municipal de Administração e Recursos Humanos, aderiu ao sistema do Banco do Brasil – o Licitações-e – para realização de pregões eletrônicos – modalidade de licitação em que as propostas e lances são apresentados através de um sistema online, ou seja, os participantes, tanto pregoeiro como licitantes, reúnem-se por meio da internet em uma sessão pública.

De acordo com o secretário Manoel de Moura Neto, a mudança da ferramenta foi necessária para modernizar a realização dos procedimentos licitatórios. “O sistema do Banco do Brasil é utilizado pela maioria das repartições públicas, é confiável e mais leve. Assim, vamos otimizar e dar maior celeridade à realização dos pregões eletrônicos da Prefeitura de Teresina”, disse.

Já a coordenadora geral da Central Permanente de Licitações, Daniela Vieira, destaca que a adesão ao Licitações-e vai reforçar a transparência dos procedimentos. “Além disso, esta modalidade se destaca por ajudar a Administração a reduzir custos e melhorar ainda mais a gestão dos recursos públicos em benefício da sociedade”, pondera. Daniela Vieira pontua que, a partir da próxima semana, os pregões eletrônicos que forem lançados já serão conduzidos através do novo sistema.

Conforme o Banco do Brasil, o Licitações-e é uma ferramenta que propicia a modernização dos processos licitatórios e, em média, os preços das compras e contratações podem ser reduzidos de 20% a 40%, comparando-se com os valores de mercado. Além disso, o sistema imprime agilidade para a conclusão das licitações, pois o prazo para a realização de uma licitação convencional pode ser maior do que 120 dias e a mesma licitação, se realizada de maneira eletrônica, pode ser concluída em 20 dias. Além disso, desburocratiza os procedimentos necessários para a condução das licitações, amplia as oportunidades de participação, pois dispensa a presença física dos fornecedores interessados, dentre outras vantagens.

Em 2016, o pregão eletrônico foi a terceira modalidade de licitação mais utilizada pela Prefeitura de Teresina, ao todo, foram 47 procedimentos. Em primeiro lugar foi a modalidade concorrência, com 137 procedimentos; em segundo lugar, os pregões presenciais (66); em quarto lugar, tomadas de preço (39); em quinto, os RDCs (9) e, por último, carta convite (1).